Reflexão


"Já não é a mesma hora, nem a mesma gente, nem nada igual. Ser real é isto" - Alberto Caeiro

"A imaginação é a rainha do real e o possível é uma das províncias do real" - Charles Baudelaire

Sunday, December 20, 2009

Eleições 2010: o PSDB na mira da transparência


O caso Leonel Pavan (vice-governador de Santa Catarina)

“O Tribunal de Justiça não acatou o pedido de habeas corpus da defesa do vice-governador Leonel Pavan, que questionava a atuação da Polícia Federal na Operação Transparência para investigar o segundo no comando da administração estadual.O TJ considerou que a Polícia Federal tem, sim, atribuição para proceder a investigação e o respectivo indiciamento de Pavan.” (Jornal A Notícia 16/12/2009)

Entenda o caso: O vice-governador do PSDB de Santa Catarina e outros servidores públicos, juntamente com alguns empresários, são suspeitos de três crimes: corrupção passiva, advocacia administrativa e quebra do sigilo funcional.

A denúncia parte da Política Federal que investigava o caso há vários meses. O Inquérito terminou no dia 10/12/2009 quando as investigações da Operação Transparência foram finalizadas. A Operação Transparência investigou os crimes citados acima na administração do governador Luiz Henrique. Ademar Stocker, superintendente da PF, afirma ter provas o suficiente dos envolvidos nos crimes. Ligações telefônicas e vários documentos foram recolhidos, indicando corrupção passiva e quebra do sigilo funcional no governo que o PSDB participa. Como exposto, Pavan (ex-prefeito de uma idade muito conhecida em SP – Balneário Camboriú) recorreu, mas não teve sucesso.

Ex-prefeito do PSDB poder ser preso – Marco Tebaldi.

Marco Tebaldi é ex-prefeito da maior cidade de Santa Catarina – Joinville (até 2008). É vice-presidente do PSDB no Estado, que é presidido pelo Pavan (citado acima na Operação Transparência). Tebaldi, foi condenado no mês corrente por desvio de verba e falsidade ideológica. O ex-prefeito do PSDB terá uma difícil escolha, ou fica quase dois anos e meio na cadeia ou perderá os seus direitos políticos. Para saber mais leia o site: (http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&uf=2&local=18&template=3948.dwt§ion=Blogs&post=256471&blog=375&coldir=1&topo=3994.dwt)

Considerações

Claro, não podemos generalizar os fatos afirmando que os dois casos citados correspondem ao que é PSDB no Estado. Mas fica evidente (na esfera política) que a tríplice aliança (DEM-PSDB-PMDB) montada no Estado para as eleições de 2010 se desmoronou, pois é difícil sustentar uma eleição com três partidos na mira de acusações de corrupção (Arruda ex-DEM [por conveniência saiu do partido], Sarney do PMDB lá em Brasília e Pavan do PSDB da própria terra dos barrigas-verdes). Se a justiça confirmar os indícios da Policia Federal (PF), o PSDB não terá tempo de reverter a imagem do partido no Estado.

Santa Catarina, um espaço significativo de apoio aos tucanos e, principalmente, do PMDB e do DEM (ex-PFL) - não sabemos se depois desses escândalos e condenações continuará como "uma base" dos tucanos. Resta saber se o PT com Ideli Salvatti (senadora do PT pelo Estado) conseguirá ocupar um espaço maior na esfera política (principalmente no interior). O seu adversário político, Raimundo Colombo (também senador pelo Estado – do democrata), tem uma inserção significativa no interior do Estado (por ser ex-prefeito de Lages) e conta com o apoio de Pavan no litoral catarinense e, claro, com a família Bornhausen. Colombo tem a difícil tarefa de reerguer o DEM – na esfera nacional.

Não podemos esquecer que o petista Carlito Merss (ex-deputado federal) governa atualmente Joinville - maior nicho eleitoral do Estado. O petista busca de forma incessante a verticalização do apoio do PMDB nacional ao PT no Estado, mas sem sucesso. O governador Luiz Henrique (ex-prefeito de Joinville) do PMDB, quer o contrário, ou seja, quer o PMDB com candidatura própria no pleito de 2010 - o PMDB catarinense é tido como uma fração à direita dentro do PMDB.

Nesse cenário, Santa Catarina deixa de ser apenas um belo Estado, para ser uma região cuja disputa política nacional será intensa nos seus 293 municípios, principalmente nos 10 mais populosos. Onde PT tem uma prefeitura, DEM, PSDB e PMDB juntos tem seis, PP duas e PPS uma. Se uma parte dos mais de 4.300.00 milhões de eleitores sinalizarem (nas pesquisas) que votarão no PT ao governo do Estado, fica evidente a fragilidade política do PSDB e do DEM, ou seja, queiramos ou não, se os partidos que fazem oposição ao governo federal não conseguirem em seus redutos demonstrarem força políticas para garantir sua sucessão nas cadeiras já conquistadas, dificilmente conseguirão convencer o país.

Os eleitores catarinenses, talvez não perceberam, mas serão o termômetro da campanha de 2010.

6 comments:

  1. se quisermos ter um governo que tem o projeto que o governo federal tem e q é o melhor pro povo temos sim q votar na Edeli. O povo terá voz e vez de participar. Temos que ficar atentos para q não nos tiramessa oportunidade.
    è dilma lá e Edeli no estado.

    ReplyDelete