Reflexão


"Já não é a mesma hora, nem a mesma gente, nem nada igual. Ser real é isto" - Alberto Caeiro

"A imaginação é a rainha do real e o possível é uma das províncias do real" - Charles Baudelaire

Wednesday, April 21, 2010

A velha retórica de uma instituição que comete crimes: Igreja e pedofilia



Li uma reportagem que me deixou atônico. No jornal Folha de São Paulo do dia 13 de abril do ano corrente a Igreja Caótica, ops... Católica, afirmou seu velho discurso, que pedofilia está ligada ao homossexualismo. É interessante lembrar que homossexualismo não é doença e que a citada reportagem não traz nenhum tipo de estatísticas sobre a relação entre homossexualismo e pedofilia. Os únicos números que estão à amostra – no jornal - são de um relatório que diz:

“Desde que um relatório que a Igreja Católica na Irlanda, publicado no ano passado, trouxe à tona que cerca de 15 mil crianças sofreram abusos nas mãos de padres e religiosos entre os anos de 30 e 90, denúncias e investigações pipocaram pela Europa e voltaram a surgir nos EUA”

A Igreja Católica de forma irresponsável e hipócrita acusa vários seguimentos da sociedade civil pelos crimes de pedofilia. Não será surpresa, se a Igreja Católica e os seus representantes acusarem as próprias crianças pelos crimes cometidos pelos padres. Outros dizem que a culpa é do celibato. O celibato foi instituído, segundo uma reportagem da revista História Viva, cujo titulo é “No Tempo da Mulher do Padre” que: “Até o século VI, homem casado podia se tornar bispo, e os sacerdotes costumavam ter parceiras”, o artigo mostra que o celibato foi uma decisão política e não tem nada a ver com teologia ou fé. A pergunta então encontra-se nos porquês da criação do celibato? Se analisarmos as motivações, encontraremos as repostas na esfera econômica, ou seja, o bispo quando era casado tinha que repartir as terras com os filhos. A Igreja por sua ganância por terra, que é sinônimo de poder, proibiu o casamento do clero, instituindo assim o celibato.

Quem conhece um pouco da história dessa Igreja Católica que deveria zelar por seus "súditos", perceberá que matar mulheres em nome da fé e excomungar pessoas que não concordam com suas ideias já foi uma coisa ordinária. Passaram-se os anos e a Igreja reconheceu seus erros, claro, tal reconhecimento não trará as vidas das mulheres consideradas bruxas novamente. Dizem que a Igreja muda lentamente, pois essa instituição eclesial tem em seu histórico uma tradição milenar. Mas os abusos cometidos pelos representantes dessa Igreja agiram de forma fria, rasteira e rápida. Casos de pedofilia, infelizmente, ocorrerão em vários lugares e situações, é um mal que a sociedade não está livre. O maior dos problemas é a conivência dos padres não envolvidos diretamente com os casos de pedofilia, mas que de uma forma sorrateira encobriram os vários crimes.

Agora o Papa diz que há um ataque à Igreja e aos bispos e aos seus representantes. Segundo alguns sacerdotes os ataques são dirigidos a figura do pontífice, para macular sua moral e história, todavia, discordo desses dois argumentos, pois subverte o fato real. Quem atacou foram os padres, e os alvos eram crianças. As famílias dessas crianças acreditavam na Igreja Católica e pensavam que tal instituição era um lugar sagrado e não um refúgio para criminosos.

A Igreja Católica sempre excluiu e matou quem discordava de suas ideias e dogmas ao longo de sua história, agora ela erra em ser omissa aos crimes de seus membros, mostrando seu descaso com a sociedade e sua estrutura autoritária. O futuro será melhor sem instituições antidemocráticas.

9 comments:

  1. Recomendo ler:

    http://colunistas.ig.com.br/ricardokotscho/2010/04/13/pedofilia-leva-igreja-ao-fundo-do-poco/

    ReplyDelete