Reflexão


"Já não é a mesma hora, nem a mesma gente, nem nada igual. Ser real é isto" - Alberto Caeiro

"A imaginação é a rainha do real e o possível é uma das províncias do real" - Charles Baudelaire

Tuesday, February 21, 2012

A volta dos que não foram: Censura e Ditadura no Brasil


O Regime Militar brasileiro durou 21 anos. Nesse período os militares foram apoiados pelo governo norte-americano. Também apoiaram o regime um setor da burguesia brasileira e alguns meios de comunicação.

Com a abertura política, após 1985, o país entra no rol das nações democráticas. Nossos vizinhos, os argentinos e os uruguaios, também experimentam o processo democrático nesse período. O governo argentino teve a coragem de rever seu passado e com isso verificou que ocorreram vários crimes contra os direitos humanos. Por crimes no regime militar, os argentinos já prenderam 486 militares, desses 200 já foram condenados.

Apesar de haver livros que provam os vários crimes no Regime Militar, como por exemplo, “Brasil: Nunca Mais” que expõe de forma objetiva as maneiras que as pessoas eram brutalmente interrogadas, infelizmente nada foi feito. Parece que há uma conivência de uma parte significativa da elite brasileira, ou seja, eles colocam uma espécie de “panos quentes” nos fatos históricos. Na mídia não há um debate sobre isso. No governo existe uma lentidão para se abrir os documentos “secretos” das Forças Armadas do período do regime. No livro supracitado há 444 casos de torturas. Os depoimentos são chocantes e acredito que há outros milhares de casos não investigados.

As Forças Armadas não foram responsabilizadas por nada, isto é, saíram do poder sem ter que pagar sua dívida história. Não e à toa que os direitos humanos são desrespeitados constantemente no país, pois uma das principais entidades da República cometeu atos claros contra os cidadãos de seu próprio país e nada foi feito. Até parece que essa história não existiu no Brasil.

Depois de macularem nossa história, uma parte do militares ainda quer impedir a livre opinião de autoridades, em especial do governo Dilma. Lembro que o tempo da censura já acabou! A instituição militar deveria ficar preocupada com nossas fronteiras, por onde passam milhares de armas, entre outros contrabandos.

Pela ineficiência de zelar por nossas fronteiras, muitos oficiais não mereceriam os seus altos salários e, posteriormente, suas aposentadorias e futuras pensões que são quase ad infinitum. Membros das Forças Armadas que participaram em ações contra os direitos humanos deveriam ser condenados pelas torturas ou mortes cometidas no Regime Militar, como é feito na Argentina. O Supremo Tribunal Federal decidiu não tocar nesse assunto diretamente, mas isso é vergonhoso para nação ou pelos menos para mim. Tendo em vista que muitos países da América do Sul já criaram seus tribunais e estão julgando seus criminosos de farda. O governo deveria deixar de lado a ladainha de alguns militares e cumprir com uma de suas funções: esclarecer todos os fatos de nossa história recente.

10 comments:

  1. Então comece prendendo a presindANTA da república. Ela quem começou com o horror da história brasileira. O maldito Jango jogou o Brasil no fodo do poço.

    ReplyDelete